Muita gente enxerga a corrida de rua como um hobby ou apenas mais uma atividade física do dia-a-dia, no entanto, a modalidade pode ser bem mais do que isso para quem sofre de distúrbios como a ansiedade. A doença gera sentimentos de preocupação, ou mesmo medo, que são difíceis de controlar até em situações simples do nosso cotidiano.

É aí que a corrida pode entrar na vida das pessoas como uma aliada aos tratamentos convencionais. Quem sofre com o distúrbio precisa fazer acompanhamento psicológico, dependo do caso medicamentoso também. Mas praticar o esporte com frequência pode ajudar os resultados e servir como uma “válvula de escape” para as emoções, ainda mais em um esporte que está sempre oferecendo novos desafios e distâncias.

Diversos estudos mostraram que a ação da modalidade aeróbica é capaz de “reconfigurar nosso cérebro”, isso porque a corrida pode aumentar os níveis de bem-estar e euforia em quem a pratica, seja amador ou profissional. Em uma recente entrevista, a psicóloga Elaine Lopes respondeu algumas perguntas relacionadas ao nosso tema. Confira:

 

Como correr pode colaborar na luta contra o distúrbio?

“A corrida na parte emocional pode tirar o foco daquilo que te deixa ansioso e ser uma boa aliada contra a ansiedade, já que te ocupa e faz dedicar-se a outra coisa, mas para isso é preciso descobrir os motivos que o deixam ansioso e trabalhar isso”, afirma a psicóloga.

 

Então não basta só correr?

“Correr libera hormônios importantes para sensação de prazer, como a serotonina. Eles fazem com que a gente se sinta melhor, seja física ou fisiologicamente, inclusive, ajudam a dar mais qualidade ao sono. Além de serem capazes de regular o funcionamento hormonal, causando uma sensação de bem-estar, fazendo com que, dessa forma, você tenha os sintomas da ansiedade minimizados, mas é lógico que isso não é o suficiente, é preciso fazer um acompanhamento profissional para tratar a causa do distúrbio”, explica a especialista.

 

Quem corre está livre da ansiedade?

“Existe a possibilidade da corrida deixar a pessoa mais ansiosa, se ela já tem tendência para sofrer com o distúrbio e não trata isso, a modalidade pode acabar sendo mais um fator para aumentar a ansiedade. A vontade de melhorar a performance, bater metas, completar provas devem ser medidas, é preciso administrar emoções, para não prejudicar o descanso ou de alguma forma descontar na alimentação”, ressalta Elaine.

 

 

E você, o que acha de lutar contra a ansiedade correndo?